Justiça: STF arquiva inquéritos da delação premiada de Sergio Cabral contra ministros do STJ e TCU


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou a abertura de três inquéritos que tiveram como base a delação premiada do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), que levaria a investigação de ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal de Contas da União (TCU).  O pedido para arquivamento foi feito pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, em abril. Agora, Toffoli tem a responsabilidade de decidir sobre outros nove inquéritos, que também foram abertos a partir da delação de Sérgio Cabral.  Os três arquivamentos decididos por Toffoli contrasta com o entendimento do ministro Edson Fachin, de acordo com informações da CNN Brasil. Em fevereiro, Fachin homologou a delação do ex-governador do Rio e autorizou a Polícia Federal a conduzir 12 inquéritos no STF para investigar as acusações feitas por ele por meio de delação premidada. Além da delação, como parte do acordo, Cabral se comprometeu em devolver os R$ 380 milhões recebidos de propina à época em que governava o estado. Os detalhes da delação e do acordo, permanecem em segredo de Justiça.