Poções: Em possível erro cirúrgico, mulher perde movimento da perna e esposo fala sobre a situação


Foto: Reprodução

O poçoense Jerry, divulgou uma nota explicando a situação da sua esposa, que teve complicações após uma cirurgia para a retirada de um cisto, que foi realizada no Hospital São Lucas, em Poções.

Confira a nota na Integra

No dia 28 de abril deste ano, a esposa de Jerry, Dona Edileuza Nunes De Lima Oliveira, se fez presente na Organização Voluntários do Sertão, a fim de realizar um procedimento cirúrgico, para a retirada de um pequeno cisto em seu pé esquerdo. Porém, a Dermatologista que à atendeu, Dra. Seomara P. Catalano, afirmou não ser possível a realização da cirurgia, por não contar com a presença de um ortopedista, encaminhando, portanto, a paciente Edileuza Nunes, para a Secretaria Municipal de Saúde de Poções, que por sua vez, encaminhou Dona Edileuza Nunes para o Hospital São Lucas, na eminência de que a instituição agisse com a responsabilidade e competência que lhe é conferida.

No dia 04 de julho do ano passado (2019), foi feito o procedimento cirúrgico no pé esquerdo de Dona Edileuza para a retirada do cisto. Acontece que durante o procedimento cirúrgico, o nervo ciático da paciente foi atingido e ela se encontra neste momento sem poder andar e com a perna comprometida.

Um relatório médico da Dra. Monnaliza Mascarenhas (CRM-21106), que acompanha dona Edileuza Nunes no Centro de Tratamento da Dor (CTD QUALIVIDA) em Vitória da Conquista-BA, onde o casal (Edileuza e Jerry) está gastando cerca de R$ 2.500,00/mês, aponta uma série de prejuízos físicos à paciente, causado pelo erro cirúrgico. Dentre os prejuízos físicos está a possibilidade de ALGONEURODISTROFIA (dor crônica no braço ou na perna que se desenvolve após lesão cirúrgica, acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco) que NÃO TEM CURA.

Além disso, por estar sem andar há cinco meses e, portanto, sem a possibilidade de resolver pequenas tarefas diárias devido aos problemas e erros acima citados, Dona Edileuza Nunes está em acompanhamento psiquiátrico, tomando uma série de antidepressivos, a exemplo de: Carbalitium, Pregabalina, Nortriptilina e Risperidona.

A consequência desses prejuízos físicos e mental, foi também um prejuízo financeiro, fazendo com que a família e amigos recorressem as rifas beneficentes, a fim de ajudar no orçamento de reparo de danos de Dona Edileuza Nunes, que ultrapassa os R$ 3.000,00/mês.

Edileuza e Jerry querem apenas que os responsáveis arquem com os prejuízos, porém, procurado por diversas vezes, a direção do Hospital São Lucas, não demonstrou nenhum interesse para com a situação de Dona Edileuza Nunes e se recusaram até mesmo custear o tratamento da paciente em questão. Como se não bastasse, estão também se recusando a receber o esposo de Dona Edileuza, que quer apenas fazer um acordo com o Hospital.

O silêncio do Hospital São Lucas, frente ao grave erro cometido e aos sérios prejuízos causados a Dona Edileuza Nunes, mostra uma incapacidade de gestão e uma negligência a vida humana que muito nos entristece.

Portanto, meus amigos, peço que espalhem essa mensagem, a fim de que haja uma GIGANTE MOBILIZAÇÃO POPULAR e que os responsáveis reparem os gravíssimos erros cometidos.

Com muita revolta e emoção, o Sr. Jerry fez o seguinte apelo: “Peço encarecidamente que me ajudem, que ajudem minha esposa a sair dessa situação.”