APLB: CARTA DOS PROFESSORES DA REDE ESTADUAL À COMUNIDADE DE POÇÕES


“Me movo como educador, porque, primeiro, me movo como gente.” – Educador Paulo Freire –

Entendemos que a educação pública de qualidade passa necessariamente pela valorização dos professores e demais profissionais da área. A greve, direito constitucional, foi deflagrada pelos professores da rede estadual, basicamente por um motivo: o não repasse do índice de 22,22% para o piso salarial da categoria, conforme o determinado pelo Governo da Presidente Dilma, e acordado com o Governo do Estado.

É essencial valorizar os professores e demais funcionários que trabalham na educação, devidamente qualificados e admitidos por concurso público.

Esclarecemos à comunidade que as aulas não ministradas no período dessa paralisação serão repostas posteriormente sem nenhum prejuízo para os alunos.

Nós, professores, temos compromisso com a educação pública, gratuita, democrática e de qualidade, estratégica para o desenvolvimento do Brasil .

Conclamamos assim, toda a sociedade, em especial os funcionários públicos, alunos e pais de alunos a se engajarem nesta luta, que visa única e exclusivamente o cumprimento do que determina a Lei.

O pagamento do Piso é para todo o país, portanto, exigimos que o governador Jacques Wagner cumpra o acordo assinado com a categoria em novembro de 2011.

A GREVE É LEGAL, ILEGAL É NÃO CUMPRIR O ACORDO!