O TRIO DA MALDADE (PARTE 1)


                      “Quanto maior e mais poderoso o ser humano, tanto maior também o seu potencial de maldade” – ditado judeu.
Esta frase, extraída dos escritos judeus, simboliza a maldade em sua essência e demonstra o grau em que as pessoas conseguem alcançar e atingir seus objetivos nefastos e perniciosos. Estamos nos referindo a maldade produzida por um trio, que além de ostentar uma série de outros adjetivos similares, que começa com, descompromissados, antipovo, corruptos, mau-caráter, insensíveis, tiranos, caras de pau, enroladores, preguiçosos, malfeitores e descambam para a de malvados, perseguidores, prepotentes e arrogantes. Lógico que estamos falando do “trio parada dura da malvadeza” que, aqui em Poções é representado pelas figuras do prefeito Luciano, de seu comparsa mor, Robson Nery e pela mal amada e mal falada assessora para assuntos macabros, Shirleane Nery. No linguajar popular, esta turma bota lascando no povo de Poções.
 

Vamos começar definir o trio, pela sua cabeça, o “menino” que de vendedor de galinha tornou-se prefeito e de esperança virou pesadelo. Este sim sabe ser malvado e segue os sábios ensinamentos do mentor político de seu pai (Tonhe Gordo), que até o saudoso ACM “Toninho Malvadeza” tinha medo. Ele consegue ser mal para o povo, porque não incorpora em si a imagem do seu pai e consegue, com facilidade transformar em fezes tudo que toca. Nunca mais vai existir em Poções e região um prefeito tão dissimulado e tão incompetente. Não conseguiu fazer, nestes mais de 3 anos, nenhuma grande obra (própria do município), não cumpriu nenhuma das suas promessas de palanque, nem conseguiu manter o grupo de campanha unido e nem formou grupo algum. É considerado o maior desastre político-administrativo do estado, mas foi o que mais se aproveitou das benesses do poder e enriqueceu, milionariamente, à custa de um poder municipal desorganizado e conivente.

Traçaremos agora o verdadeiro perfil do número dois do trio e o número um da prefeitura, porque o primeiro consegue ser o segundo ou menos. Vamos definir o comparsa mor de todo o grupo, Robson. Este é cobra criada em assuntos de roubalheira e malvadeza. Se facilitar ele vai sair da prefeitura mais rico que o prefeito. O homem é maquiavélico e consegue se rodear de uma equipe extremamente preparada para usar o dinheiro público e se dar bem. De maneira diplomática e elegante transforma o prefeito num fantoche e faz dele o que bem quer. Não respeita ordem do “menino”, nas falcatruas ele sempre fica com a melhor fatia do bolo, tem botado o poder público, contabilmente falando na mira do TCM e CGU e por não dizer Polícia Federal e ele garganteia ainda dizendo que tem amigos e parentes nas alas da PF e se sente imune e impune. E por falar em malvadeza ele é um primor, pois consegue perseguir, retaliar e prejudicar, de todas as formas, quem criticá-lo ou contradita-lo, ou será que esquecemos o que ele fez com Adelson em praça pública?

A terceira e mais rasteira do trio é a peçonhenta, mal amada e mal falada, Shirleane. Ela conseguiu um fato inédito na história de Poções que foi a de ser a pessoa mais antipática a exercer uma função que exige simpatia. Ela faz a ponte entre a inoperância e incompetência do prefeito com o comparsa maquiavélico e mentor das finanças. Ela é autossuficiente, no seu setor (Gabinete do Prefeito) e faz o que bem quer a seu bel prazer e goza das vistas grossas do prefeito que parece ter o rabo preso com ela. A mulher (será?) manipula, controla, persegue, maltrata, ameaça, intimida e destrata os que criticam e até os próprios do grupo. É uma verdadeira salada de jiló, mas como foi “secretária” de pai do menino, por algum motivo, talvez, muito escuso goza do direito e do poder de controle da agenda do menino fantoche, basta dizer que ela foi trazida para o gabinete pela força do seu irmão, Robson Nery, ou seja, o Superrob.

Este trio, o Trio Malvadeza é quem comanda o destino de Poções e ai de quem não obedecê-lo! É desta forma que o nosso município está sendo tratado e tem muita gente que, mesmo recebendo chicotadas e tapas na cara estão coesos e firmes, rumo a mais uma campanha eleitoral, pode?

Diante de tanta malvadeza, a gente poderia até mencionar uma frase de John Milton que diz “Toda a maldade é fraqueza”, mas como Rui Barbosa dizia que depois do homem ver prosperar a maldade e outros males termina tendo vergonha de ser bom e honesto deixamos aqui, mais uma vez, uma reflexão: estamos sendo honestos conosco permitindo que males, como o que este trio representa e sua trupe continue a comandar nossas vidas e nossos destinos? Até quanto teremos a paciência de suportar tanta coisa ruim que este grupo tem oferecido ao nosso povo?

Somente uma certeza existe e está sintetizada na frase do advogado, escritor e filósofo romano, Sêneca: “A maldade bebe a maior parte do veneno que produz”, isto acontecerá à aqueles que tratam Poções como lixo, como coisinha menor, como escada para se darem bem. A maldade deste trio e deste povinho que está no poder de Poções se transformará em veneno para eles próprios, desde que assumamos a posição de filhos e herdeiros de uma terra abençoada pelo Divino Espírito Santo.

Para encerrar fica aqui a frase do filósofo, educador e matemático, Platão: RIQUEZA ALGUMA PODERÁ PROPORCIONAR A PAZ A UM HOMEM MAU.

PORTAL POÇÕES
O Portal Que Alguns Políticos Odeiam…