DENÚNCIA: SECRETÁRIO “COMPRA E VENDE” (PARTE 2)



No nosso editorial anterior sobre o secretário “compra e vende” pudemos notar que é visível o desrespeito a legislação, em vigor, quanto ao relacionamento comercial entre agentes públicos e empresas fornecedoras, mas isto em Poções não tem tido a fiscalização e punição necessárias para fazer parar a gulodice “dos gastos estranhos” do governo do “menino do mito”. Governo não, desgoverno sim!

A função do Portal Poções, desde a sua fundação, sempre foi a de fiscalizar, denunciar e abrir espaço aos internautas para questionamentos sobre os agentes e órgãos públicos, mostrando a todos, os desmandos e mau uso do dinheiro público, por aqueles que querem e insiste em lesar a sociedade e se locupletarem das benesses governamentais em detrimento ao sofrimento de um povo inculto. A partir de agora estaremos oficializando as nossas denúncias e encaminharemos ao Ministério Público as provas documentais para que alguma coisa de concreto seja feito contra àqueles que querem se aproveitar da boa fé do povo.

Consta no site do Tribunal de Contas dos Municípios que o secretário e dono do posto América, Gilvan Pereira, compra e vende para a prefeitura.

                           Após investigação no site do TCM-Tribunal de Contas dos Municípios, referente aos gastos da Prefeitura de Poções, anos 2009 e 2010 encontramos gastos exorbitantes com combustível no ano de 2010, principalmente após a entrada do novo secretário “compra e vende” de saúde, Gilvan Pereira. Enquanto o povo não consegue realizar exames e procedimentos por falta de dinheiro, o atual secretário elevou os gastos da secretária de saúde com combustível no ano de 2010, em quase R$100.000,00 (cem mil reais) a mais em relação a 2009, ou seja, em 2009 o ex-secretário e vice-prefeito Dr. José Schettinni, com toda sua má gestão gastou exatamente R$205.000,00 (duzentos e cinco mil) o grande secretário Gilvan Pereira gastou R$297.000,00 (duzentos e noventa e sete mil). Como explicar tanto combustível quando as ambulâncias não prestam socorro a população, a tempo, alegando falta de combustível?  As pessoas morrem, ou não são atendidas, mas as notas do Auto Posto América (do secretário) não atrasam, são pagas rigorosamente em dia. Veja só este exemplo: nos meses de setembro e outubro de 2010 a Secretária de Saúde pagou ao Posto América pouco mais de R$20.000,00, já em novembro e dezembro, do mesmo ano, a secretaria desembolsou mais de R$110.000,00. Como explicar isto a população? É estranho, muito estranho!Como podemos entender que centenas de pequenos exames são negadas à população carente, quando o secretário de finanças, Robson Nery que possui uma condição financeira boa, retira do dinheiro da saúde, diárias de 181,00?Diárias de saúde para um secretário de finanças? Pode? E o mais interessante é que a Lei é clara: só pode gastar o dinheiro da saúde em despesas da saúde, finalidade exclusiva da saúde e aí vem a pergunta: este valor foi realmente destinado a gastos com saúde?

Consta no site do Tribunal de Contas dos Municípios que o secretário de  finanças, Robson Nery, usou Diárias pagas pela secretária de saúde.

Além das esquisitices encontradas nas contas da Prefeitura de Poções, nos relatórios do Tribunal de Contas dos Municípios, publicados no site, encontramos a falta de licitação no ano de 2011 para combustíveis (que é ilegal) e o poder público municipal, simplesmente renovou o contrato com o fornecedor Auto Posto América (que é do secretário Gilvan) contrariando e burlando a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Consta no site do Tribunal de Contas dos Municípios que o vice-prefeito, Dr. José Schettinni, no ano de 2009 recebeu os sálarios de vice-prefeito pela secretária de saúde.

Não dizemos que é esquisitice, mas dizemos ser uma inflação grave contra a Lei de Responsabilidade Fiscal a utilização de recursos destinados à saúde para pagamento de despesas com outras esferas governamentais.Absurdamente o vice-prefeito, que foi secretário de saúde,  recebeu em 2009 sua remuneração do cargo de vice-prefeito na folha de pagamento da saúde. Pode? (Mas e quanto o que diz a lei: só pode gastar o dinheiro da saúde em despesas da saúde, finalidade exclusiva da saúde) Achamos estranho e estamos enviando as planilhas e folhas para o ministério público tomar as providências cabíveis. Basta dizer quer, em outros estados, inflações como estas o prefeito já teria seu mandato cassado por improbidade administrativa, mas surpreendentemente na “Terra da Má Notícia”, pelo menos até agora, nada foi feito para que a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei de Licitações fossem devidamente cumpridas e colocadas em execução.

Estaremos enviando ao Ministério Publico a formalização desta denúncia e todas que surgirem, para que alguma coisa seja feita no sentido de estancar com esta sangria infame feita por este grupo de sanguessugas comandado pelo menino do mito que não se cansa de burlar a Lei e lesar o erário público. Quem quiser ajudar a fiscalizar é só acessar o site do Tribunal de Contas dos Municípios ou do Portal da Transparência.

                            Veja abaixo a certidão simplificada que prova que, até os dias de hoje, o Auto Posto América é de propriédade do Secretário de Saúde Gilvan Pereira.

www.PORTALPOCOES.com